Deborah Engel

Deborah Engel propõe em sua pesquisa uma reinvenção da contemplação, tomando como interesse questões ligadas à fotografia expandida, à experimentação da perspectiva e do enquadramento, e ao cinetismo. Assim, amplia a função do mero registro representativo da realidade; e afirma uma nova função da fotografia na arte contemporânea, na qual o espectador possa ser provocado a questionar o mundo por intermédio da obra de arte. A artista lida com arte fotográfica, produzindo relevos que vistos frontalmente não deixam de ser percebidos como um plano, mas que ao serem acionados causam a experiência, tão poética quanto instintiva, da apreensão do real, por meio da visão de uma fotografia –que poderia ser um filme–; deixando-se emocionar por ela.

©Portas Vilaseca Galeria.