Mano Penalva

 

(Salvador de Bahia, Brasil, 1987), vive e trabalha em São Paulo.

O trabalho de Mano Penalva parte do estudo da cultura material, mudanças de comportamento e efeitos da globalização. Sua produção é deliberadamente não-representativa, permitindo que os materiais ditem a forma e se unam por conta própria a partir de um desejo de existirem no mundo.
O processo de Mano Penalva envolve seu interesse pela antropologia e formação cultural, que se materializa nessa urgência em se apropriar de artigos comuns encontrados e adquiridos na rua, mercados populares e em viagens. Sendo assim, pode-se reconhecer uma quebra de fronteiras, uma linguagem globalizada a partir da natureza dos materiais e objetos que compõem seus trabalhos, seja na apropriação de uma iconografia nacional familiar, ou na justaposição desta à outras iconografias de diversas partes do mundo, subvertendo muitas vezes os valores e significados originais e costurando discursos de cunho sociais filosóficos que são evidenciados pelas formas dos objetos criados.

©Portas Vilaseca Galeria.